Se os seus pais te ensinaram que é feio ficar falando de dinheiro, tem uma situação onde essa máxima não se aplica: no casamento. Pelo contrário, quanto mais for falado, melhor é. Você não achou que casar era só escolher um vestido (lindo, por sinal), juntar todas as pessoas que você ama e dizer o tão esperado “sim”, achou?

Um casamento é uma união de duas vidas – e a parte financeira não pode ficar de lado. Quanto mais claro as finanças conjuntas forem para um casal, menor a chance de mal-entendidos, brigas e desacordos. O que está combinado nunca sai caro, não é?

Se o seu marido não mostrar muito interesse em conversar sobre dinheiro, chame-o mesmo assim. Não precisa ser no primeiro mês do casamento, quando as prioridades são outras! Mas esse papo é essencial e não adianta evitar.

Primeiro, prepare-se. Falar de finanças não é só contar o quanto você ganha (essa é a parte fácil!), mas sim quanto você gasta. Por isso, você precisa ter muito claro com você mesma como funcionam os seus gastos. Faça um levantamento mensal e divida seus gastos por categorias, para saber exatamente quanto você vem gastando com as contas da casa, roupas, manicure, academia, e assim por diante.

Marque uma data. Conte para ele que você quer mostrar as suas contas para ele e conversar sobre a melhor maneira de dividir tudo entre vocês dois e separem um horário para vocês conversarem. Assim você também dá um tempo para ele se preparar e mostra a sua seriedade ao lidar com o tema. Às vezes, pode ser no fim da tarde do domingo e vocês ainda podem emendar com uma pizza e um vinhozinho, para deixar um clima mais leve!

Seja transparente. Não é a toa que falar de dinheiro não é fácil – você pode não querer dividir com ele quanto você gasta com determinados assuntos (todo mundo tem o seu ponto fraco: bolsas, tratamentos no cabelereiro, saídas com as amigas, etc). Mas a partir do momento em que vocês se casam, este dinheiro passa a ser dos dois e novas prioridades surgem, como gastos com a casa e filhos, para dar alguns exemplos. E mais: ao mostrar tudo com clareza, você mostra a ele que ele também pode ser transparente com você. Confiança acima de tudo!

Divida os gastos. No momento que os dois sabem dos gastos e renda de cada um, fica muito mais fácil organizar isso. Vocês podem dividir como vocês quiserem, mas deixem claro quem vai pagar cada conta e estabeleçam um limite para o orçamento. Vocês podem definir ter uma conta conjunta ou então achar melhor cada uma manter a sua – não tem resposta certa. Vai depender apenas de como vocês funcionam e achar a melhor maneira de botar isso em prática.

Sonhem! Pensem também em uma poupança conjunta, para poderem alcançar os sonhos de vocês: uma casa maior, uma viagem, carro novo… E decidam quem é que vai cuidar deste dinheiro, se será você ou ele, de acordo com os pontos fortes de cada um.

Parece difícil – e é. Mas para um casamento funcionar do jeito que a gente quer, confiança e parceria vêm em primeiro lugar. Então aproveite e se você ainda não teve, tenha logo essa conversa!

Carolina Ruhman Sandler, colunista Governess, jornalista, fundadora do site Finanças Femininas  e coautora do livro “Finanças femininas – Como organizar suas contas, aprender a investir e realizar seus sonhos” (Saraiva).

 

basefinancas