Olá meninas! Hoje vamos fazer uma comparação entre os diversos tipos de piso! Você tem um preferido? Esperamos que esse Governess Review ajude na sua compra :)

Piso de cerâmica:

Os pisos de cerâmica podem ser lisos ou texturizados. Muitos imitam outros materiais, mas nem sempre são fiéis. Piso de cerâmica ou piso frio “é a opção mais barata para revestir o chão, apesar de a produção estar em desaceleração, com o barateamento do porcelanato”, diz a arquiteta Mariana Alves de Souza. Mesmo assim, ainda é grande a oferta no mercado.

Desvantagens: Não é muito resistente e pode lascar. Como a produção está diminuindo, nem sempre é possível encontrar modelos antigos em lojas de material de construção. Se for necessário comprar pisos para uma reforma, o preço gira em torno de R$ 18 por peça, em lojas especializadas. O rejunte também pode ser um problema, por ficar facilmente encardido.

Vantagens: Não mancha, é fácil de limpar e barato. Pode ser usado em todos os cômodos da casa, ainda que para quartos seja menos indicado porque pode ajudar a esfriar o cômodo. Há modelos foscos, esmaltados, lisos, com ranhuras, marmorizados, que imitam madeira, pedras, mosaicos ou tijolos. Mas tais imitações não costumam ser muito convincentes. Preço: a partir de R$ 10/m², sem mão-de-obra

Pastilha de vidro:

O vidrotil é mais bonito que a pastilha de vidro, mas pode cortar o pé se não for bem assentado Há dois tipos: as de vidro e as que são feitas de uma massa chamada vidrotil. As primeiras são mais regulares e de acabamento arredondado. As de vidrotil ganham pigmentação na própria massa e seu corte é feito manualmente, por isso as arestas são um pouco irregulares. Quando desgastadas, não ficam feias. Nos dois casos, como são muito pequenas (normalmente 2 cm x 2 cm, mas vêm em placas de 30 cm x 30 cm), seu assentamento deve ser caprichado, senão ficará desnivelado. Usualmente é colocada em áreas molhadas (banheiro, cozinha e área de serviço), em paredes ou em forma de faixas decorativas. Fica muito bonita no piso – mas cuidado: o vidrotil, por exemplo, pode cortar o pé se for mal assentado.

Desvantagens: “As pastilhas precisam de muito rejunte, o que acumula sujeira. Existem rejuntes coloridos, mas, se ele for claro, fica encardido do mesmo jeito”, afirma a arquiteta Mariana. As pastilhas de vidro riscam e ficam opacas com o tempo. As pastilhas de vidro podem riscar, mas seu formato é mais regular

Vantagens: As pastilhas importadas da China são mais baratas. Apesar de o vidrotil ser mais oneroso, tem maior durabilidade. Como existe uma variedade muito grande de cores, é possível fazer mosaicos e degradês. Preço: a partir de R$ 40/m², sem mão-de-obra

Cimento queimado:

O cimento queimado pode ser colorido ou cinza e fica bonito em todos os ambientes da casa É o piso preferido dos que ousam na arquitetura e decoração de casa. Oferece um acabamento mais rústico, mas deve ser feito com mão-de-obra especializada para diminuir o risco de trincar no futuro – o que invariavelmente acontece. Algumas empresas oferecem uma massa pronta com várias opções de cores. Normalmente mais caro, esse material não deixa juntas, ou seja, o piso fica homogêneo. O acabamento pode ser fosco ou brilhante e é possível fazer uma composição com ladrilhos hidráulicos.

Desvantagem: Com o tempo, aparecem trincas e pode manchar. Como a mão-de-obra tem que ser especializada, costuma ser caro para ser aplicado porque demanda tempo (mais de uma semana para estar completamente pronto). Além disso, o contrapiso tem de estar lisinho e limpo – o que também encarece o preço.

Vantagem: “É indicado para qualquer lugar da casa, mas nas áreas externas pode escorregar”, afirma Mariana. Como pode receber ladrilho hidráulico e tem várias cores disponíveis, é possível personalizar o ambiente. Preço: a partir de R$ 40/m², sem mão-de-obra (pode custar o mesmo valor do material)

Pastilha de cerâmica:

As pastilhas de cerâmica podem ter vários acabamentos, brilhante ou rústico (no alto) Assim como as pastilhas de vidro, as de cerâmica devem ser assentadas com cuidado, ainda que sejam maiores (de 2 cm x 2 cm até 12 cm x 12 cm). Normalmente são usadas em piscinas e outras áreas molhadas. No piso, é importante que a área não tenha circulação intensa.

Desvantagens: Há variação entre a cor de uma pastilha para outra, porque cada fornada resulta numa cor diferente. E, como é cerâmica, pode lascar e perder a cobertura colorida. O rejunte pode ficar encardido, o que será um problema aos mais preocupados com limpeza.

Vantagens: Há muitas cores e diversos acabamentos: esmaltadas, foscas, desbotadas, rústicas… Pode ser usada sozinha ou em composição com outros tipos de pisos. Preço: a partir de R$ 50/m², sem mão-de-obra    .
Porcelanato:

O porcelanato é bonito, dura bastante e tem vários modelos, inclusive imitando fibra natural (à dir.) O porcelanato é um tipo de revestimento resistente e muito bonito, mais caro que a cerâmica, mas que está ficando mais acessível à medida que se populariza. É fácil instalar, principalmente porque suas peças são grandes – a partir de 45 cm x 45 cm – e as juntas são pequenas, evitando acúmulo de sujeira.

Desvantagem: As peças maiores, com mais de um metro de comprimento, devem ser manuseadas com muito cuidado, porque o prejuízo é maior se quebrarem. Além disso, essas peças costumam ser mais caras. Não há grande variedade de cores – tonalidades de marrom, branco e preto.

Vantagens: Ele é feito de uma massa única, que se desgasta por igual – sem descascar, como pode acontecer com a cerâmica – e tem baixa absorção de água, sendo difícil manchá-lo. É indicado para pisos internos e externos das casas, e até mesmo para o revestimento de paredes. O acabamento pode ser liso e brilhante, fosco e irregular, em sua forma natural, com ou sem esmalte. Há efeitos pontilhados, imitando pedras, madeira, jeans e até fibra natural, para dar um ar mais rústico ao cômodo. Preço: a partir de R$ 50/m², sem mão-de-obra

Laminados:

Laminados são placas revestidas de fórmica, que imita madeira São placas muito finas (8 mm) revestidas de fórmica que recebem a impressão de texturas e cores de madeira. Elas são colocadas sobre mantas de polietileno, que protegem da umidade e funcionam como isolante acústico. Não são muito resistentes, principalmente à umidade ou água. Se desgastadas, devem ser trocadas porque não há como restaurá-las.

Desvantagem: O barulho ao andar com sapatos de salto pode incomodar. Tem durabilidade menor que a madeira, pode riscar com facilidade e a aparência não costuma ser muito natural. Não pode ser instalado perto de áreas molhadas.

Vantagem: Pode ser colocado sobre pisos já existentes, desde que estejam nivelados, e a instalação é rápida. É muito mais barato que pisos de madeira e possui várias padronagens e cores. Preço: a partir de R$ 50/m²

Ladrilho hidráulico:

Como é feito artesanalmente, o ladrilho pode compor desenhos personalizados São fabricados artesanalmente, por isso podem ganhar a cor, formato e tamanho que o cliente desejar. “A mão-de-obra de colocação precisa ser especializada porque os ladrilhos podem apresentar imperfeições nas arestas, dificultando o assentamento”, afirma a arquiteta Jordana Zola. Outro cuidado é não molhar as peças enquanto forem assentadas porque mancha. Depois de assentados, os ladrilhos têm de ser impermeabilizados com resina. Costuma-se passar cera para dar brilho, mas não é obrigatório.

Desvantagens: Quanto mais personalizado, mais caro o ladrilho. Além disso, a mão-de-obra tem que ser cuidadosa. Como é feito artesanalmente, pode haver variação de cor de uma fornada para outra.

Vantagens: A possibilidade de criar formas e desenhos variados no piso torna o ladrilho um revestimento que permite resultados diversos: clássico, rústico, retrô, contemporâneo… Pode ser colocado em ambientes internos, como salas ou cozinhas, e externos, em que se usa um tipo antiderrapante, o ladrilho gretado. Preço: a partir de R$ 60/m²

Granito ou mármore:

Além das cores neutras, é possível encontrar mármores e granitos coloridos É um revestimento caro e muito elegante. Quase não se vê a junta entre uma peça e outra. O granito é mais resistente que o mármore, por isso pode ser usado na cozinha, onde há mais possibilidade de cair coisas no chão. O mesmo vale para quem deseja usar pedra na bancada ou pia da cozinha. Quando colocados no piso, indica-se impermeabilizar. Mesmo com a diferença de resistência, duram a vida inteira, se impermeabilizados e limpos sem produtos abrasivos.

Desvantagens: Obviamente, o preço. E, como são pedras, podem ajudar a gelar o interior da casa, principalmente em regiões frias. O mármore é muito frágil e “mole”, pode lascar facilmente e manchar com gordura, vinho e até mesmo água. As pedras podem apresentar diferença de cor e desenho.

Vantagens: Granito e mármore podem ser usados tanto dentro quanto fora de casa. Dentro, normalmente são lisos e impermeabilizados com produtos especiais, para evitar manchas. No ambiente externo, prefira os mármores sem polimento, mais rústicos, que não escorregam. Há uma grande variedade de cores e preços – quanto mais manchado, mais barato. Algumas pedras têm colorações incríveis. Preço: a partir de R$ 90/m², sem mão-de-obra

Taco de madeira:

Tacos de madeira deixam o ambiente quente no inverno e fresco no verão Antigamente era muito comum nas casas e apartamentos, mas hoje o taco de madeira está beirando a raridade porque o piso frio é bem mais em conta – e de manutenção mais simples e barata. No entanto, ele deixa o ambiente bonito, quente no inverno e fresco no verão. Tem alta durabilidade e pode ser restaurado algumas vezes, sem perder a beleza. É um bloco de madeira maciça de vários tamanhos – de 30 cm a 50 cm de comprimento e larguras variáveis – colados sobre o contrapiso. Se você comprou ou alugou um imóvel com taco malconservado, empresas especializadas fazem a raspagem e passam produtos que lhe devolvem a vitalidade. Antigamente, usava-se sinteco para isso. Hoje, é possível comprar outros produtos com secagem mais rápida e vários acabamentos – brilho, fosco, semi-brilho ou natural. Para limpar, basta usar vassoura e pano úmido. De vez em quando convém passar cera.

Desvantagem: A instalação não é fácil nem rápida. Depois de colocar os tacos, é preciso lixar – é aí que mora o problema. O pó liberado é fino e suja tudo. “Entra em todas as frestas possíveis”, diz Mariana. Não pode ser colocado em ambientes úmidos.

Vantagem: Apesar de precisar de manutenção a longo prazo, que é cara, o taco fica novo rapidamente. A variedade de cores e tamanhos também é uma vantagem, por permitir inúmeros desenhos e formatos. Se alguma peça for danificada, é possível trocá-la sem mexer nas demais. Preço: A partir de R$ 100/m²

Granilite:

O granilite pode ser liso, indicado para ambientes internos (no alto), e rústico, que vai bem em varandas e quintais (abaixo) É uma massa de cimento com pedaços de pedras, como mármore, calcário ou quartzo, e em vários tamanhos (ou “granulometrias”) diferentes. Por isso, tanto a massa quanto as pedras podem ser coloridas. O granilite possui acabamento liso ou rústico. A versão polida e com resina pode ser aplicada em qualquer lugar, mas normalmente é colocada na cozinha. A mais rústica, sem acabamento, é muito usada em varandas e outras áreas externas porque não escorrega. Tem chance de trincar com o tempo, embora menos que o cimento queimado.

Desvantagem: A maioria das empresas só aplica em áreas grandes, maiores que 80 m², ou cobram um preço mínimo, normalmente salgado, para fazer o trabalho em áreas menores.

Vantagem: Há várias versões, das mais coloridas às mais discretas. Estas últimas são muito usadas em cozinhas e salas. É fácil limpar e, como tem pedrinhas em sua composição, a sujeira não fica evidente. Se ele estiver gasto ou avariado, é possível restaurar. Preço: a partir de R$ 100/m², com metragem mínima de 80m²

Assoalho:

O assoalho pode ser feito de muitas madeiras, como a cumaru, tauari e ipê (de baixo para cima) São tábuas de madeira maciça com 2 cm de espessura e comprimentos de até 6m, encaixadas uma na outra e parafusadas no contrapiso. Recebe acabamento igual ao do taco: lixa e resina. Mas algumas empresas vendem o assoalho pronto, o que evita o pó da madeira e o cheiro dos produtos impermeabilizantes. Se o piso estiver gasto, pode-se restaurá-lo. Por isso, tem grande durabilidade. Para evitar que a água da rua estrague o assoalho, coloque um capacho ou tapete próximo à porta. A limpeza deve ser feita apenas com vassoura ou aspirador de pó.

Desvantagem: O preço, por ser feito de madeira maciça. “Há madeiras moles e duras. Tome cuidado com as primeiras, como amêndola, que podem marcar só de caminhar com salto agulha”, afirma Mariana. Se em contato com a água, pode manchar e estragar o acabamento. Pode ser colocado em qualquer ambiente livre de umidade

Vantagem: Dura muito e é resistente, principalmente as madeiras mais duras. A arquiteta recomenda cumaru e ipê. Há grande variedade de cores e promove conforto térmico dentro de casa. Preço: A partir de R$ 180/m²

Resina epóxi

A resina epóxi pode ser aplicada sobre áreas que não estejam perfeitamente niveladas “Como a resina epóxi é autonivelante, o piso não precisa estar liso”, diz o arquiteto Marcel Martin. Por isso, pode até ser aplicada sobre piso frio. A aparência é lisa e homogênea, não mancha nem trinca, mas pode riscar. Tem acabamentos foscos e brilhantes e cores diversas, que permitem fazer desenhos no chão. Pode-se usar em qualquer área da casa, menos no lado externo, porque escorrega. No banheiro, aconselha-se usar algum material antiderrapante sobre a resina.

Desvantagem: Como risca, não é aconselhável usar em locais de muita circulação. Há empresas que não aplicam o material se não houver uma metragem mínima de 100 m².

Vantagem: Sua limpeza é muito prática, é resistente a produtos químicos solventes e a possibilidade de aplicá-la sobre pisos frios aumenta sua versatilidade, compensando irregularidades no piso. Tem alta durabilidade e apelo estético. Preço: a partir de R$ 180/m², com metragem mínima de 100m²

Marcas de pisos laminados: (Durafloor e Eucafloor)

Cada marca apresenta produtos de primeira e segunda linha, existem várias opções de qualidade e valor dentro de uma mesma marca. Segundo os especialistas, o melhor piso é o de fibra de madeira natural, que oferece maior durabilidade além de absorver menos umidade. Algumas marcas usam aglomerado de madeira e isso diminui o tempo de vida útil do piso.

Marcas de pisos porcelanatos:

1. Incepa: uma das mais tradicionais no ramo de cerâmica do Brasil.
2. Portobello: uma das maiores do país.
3. Eliane: especializada na fabricação de revestimentos cerâmicos.
4. Gyotoku: – Resistência à abrasão; Expansão por umidade; Carga de ruptura; Resistência ao calor e ao frio; Coeficiente de atrito;
5. Delta: premiada com o troféu Ruy Ohtake na categoria “Revestimento Cerâmico” pela revista Revenda Construção e possui certificação CCB – Centro Cerâmico do Brasil.

Como escolher o piso ideal:

Quarto e escritório: Para esses ambientes, o mais recomendado são os pisos vinílicos ou laminados de madeira. A temperatura da região também influencia na escolha.

Sala: Ambiente muito frequentado, o piso deve ser resistente de fácil limpeza. O porcelanato é a melhor opção. Em residências pode ser utilizado o esmaltado. Em salas comerciais, o ideal é o porcelanato técnico fabricado com massa na mesma cor do produto e que faz com que o desgaste não seja percebido.

Banheiro e cozinha: Piso cerâmico ou porcelanato. A dica é utilizar o porcelanato natural principalmente na área de dentro do box. O porcelanato polido fica mais escorregadio. Esse cuidado deve ser redobrado em casas com crianças e animais de estimação.

Tempo médio da troca do piso: todo o processo de troca, desde a remoção do piso anterior à liberação total do trafego de pessoas no ambiente, deve demorar em média 14 dias.